quarta-feira, 16 de março de 2011

ENSINO PASTORAL DO DIA 16 DE MARÇO DE 2011.


VIVENDO ATÉ CHEGAR O DIA...
TEXTO DE REFERÊNCIA: Mt. 25.1-13
Introdução:
       Esta parábola nos ensina que devemos está prontos a qualquer momento para receber-mos a volta de Cristo. Devemos viver como se o dia de hoje fosse o último de nossos dias, também fica claro que cada pessoa é responsável pela sua condição espiritual e descreve em parte como deve ser a nossa preparação.
                                                                            
       O interessante neste trecho bíblico é que todas as dez virgens eram puras, e esperavam o noivo. Buscando um paralelo com as leis judaicas e testamentais elas se enquadravam em todos os requisitos que uma noiva deveria ter, trazendo para os nossos dias seriam chamadas de mulheres exemplares em nossas comunidades cristãs, mas falharam nos últimos minutos. Vejamos alguns tópicos importantes.

  • Estavam todas com suas lâmpadas. v.3,4.
Segundo as tradições judaicas, a noiva teria que possuir uma lâmpada para ir ao encontro do noivo quando ele estive-se próximo a sua casa, para guiá-las na escuridão se o fato ocorresse à noite. Em Pv.20.27, mostra que o objetivo da lâmpada é mostrar o obscuro de nossa alma (Espírito), mostrando os nossos erros e clareando os nossos caminhos. Só podemos entender isto quando passamos a examinar e praticar as escrituras, pois ela é a nossa luz. Sl. 119.105.

  • A caminhada é longa e cansativa. v.5.
Em nossa trajetória de vida, precisamos às vezes de um descanso, mas devemos entender que o nosso descanso tem que ser programado e organizado. Entre as dez virgens, apenas cinco estavam prontas, pois levavam consigo o azeite reserva. A caminhada é longa, mas o nosso descanso é temporário, e serve apenas para um reabastecimento de energia e de força. Is. 40.31.
  • Devemos está cheios de azeite. v.8 e 9.
O tempo de espera e o não abastecimento de azeite provocaram desespero nas cinco virgens que estavam com seu reservatório extra vazio. Assim é conosco em alguns momentos. Como está o nosso azeite e o nosso reservatório? Azeite não se divide azeite não se empresta, mas se adquiri com uma vida disciplinada na presença de Deus. Quando estamos na casa de Deus (IGREJA) estamos recarregando o nosso estoque de azeite. Deixando-nos com uma alegria indizível. Sl. 122.1.

  • Os verdadeiros servos devem vigiar. v.13
Qual é o azeite que lhe falta? Ele virá buscar a sua igreja em um momento no qual não sabemos. Pode até demorar por mais tempo a sua vinda, mas nós como mordomos de cristo, devemos está prontos para este dia. Os que estão dispersos nos bancos de nossas igrejas precisam entender que a vigilância precede todas as coisas, e a negligência nos leva a conseguências irreversíveis e a oportunidade para crer pode passar.

Conclusão:

     Uma vida de caráter cristão deve ser adquirida por todos nós, sem vacilar ou desanimar, deve ser o nosso objetivo maior. A vigilância constante nos aprova em todas as provações, é isto que esta parábola ensinada no monte das oliveiras por Jesus quer nos ensinar, ou seja, devemos está sempre alerta. Ninguém pode vigiar por você, ninguém pode sonhar por você, ninguém pode plantar por você e ninguém pode usar a sua fé. Então exerça o seu chamado e seja vigilante e alcance o diferencial.
      

“O preparo nos leva a perfeição,                                                  
e a perfeição nos garante a salvação.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AS DUAS ÁRVORES

Texto de referência: Jo. 15.1-22. Introdução: A natureza, e tudo que existe em sua volta, são constantemente apresentadas e co...