sexta-feira, 16 de março de 2018





O jugo é uma “canga” (também chamada de parelha) utilizada para unir a capacidade física de dois animais (geralmente bois) na execução de trabalhos no campo.

Sendo assim, o jugo (canga) nada mais é do que uma peça de madeira, pesada colocada sobre o pescoço dos animais para que juntos possam arrastar uma carroça ou um arado. 

É necessário que os animais escolhidos para trabalharem juntos na parelha sejam similares, tanto em porte quanto em saúde e vigor.

Quando um animal menor ou mais fraco é colocado com outro animal maior e mais forte, certamente a tarefa não será executada, e no máximo eles andaram em círculos, pendendo para um dos lados devido à diferença de tamanho e força. Logo, o problema nessa situação é o “jugo desigual”.

Em Deuteronômio 22.10 encontramos uma recomendação direta sobre o jugo desigual no sentido literal, onde lemos: “Com boi e com jumento não lavrarás juntamente”.

É exatamente essa figura da inutilidade e disparidade de dois animais unidos por uma canga na execução de uma tarefa, que o apóstolo Paulo utiliza em seu texto.

No entanto, para entendermos corretamente o que ele pretendia dizer quando utilizou a expressão “jugo desigual” precisamos considerar o contexto da passagem em que tal expressão aparece.

Estamos falando de II Co 6 , onde encontramos recomendações práticas do apóstolo com relação à vida cristã que se estendem até o capítulo 7.
A maioria dos cristãos interpreta essa expressão como uma referência ao casamento de um crente com um incrédulo, ou à sociedade comercial entre duas pessoas nestas condições. Entretanto, não é exatamente sobre isso que o texto trata.

Em II Co 11.13-15 Paulo fala sobre a atividade dos falsos apóstolos, “obreiros fraudulentos”, (Faz de conta que você não conhece nenhum) que afirmavam ser cristãos, mas, na verdade, eram servos de Satanás. Assim, o apóstolo estava advertindo os cristãos de Corinto a não receberem esses falsos obreiros, pois ao se juntarem a eles, ou se sujeitarem a autoridade fraudulenta que eles alegavam ter, haveria uma distorção do próprio ministério da Igreja de Cristo ali estabelecida.

O texto original em grego enfatiza a ideia de que colocar-se em jugo desigual significa estabelecer ligação com uma pessoa que é completamente diferente, que nesse caso, eram os falsos apóstolos que não eram membros verdadeiros da família da fé.

Esse é o contexto da passagem e a correta interpretação da expressão “jugo desigual” utilizada por Paulo. O apóstolo estava tratando do problema de pessoas que frequentemente tentavam influenciar os cristãos de Corinto a adotarem práticas pagãs.

Vimos que o princípio geral das recomendações do apóstolo é a clara recomendação à separação entre cristãos e pagãos, e aqui estão inclusos os que se dizem cristãos, mas não vivem como tal.
É possível aplicar esse princípio a outras situações, desde que tal aplicação seja feita com bastante critério e discernimento.

É interessante pensar que uma boa aplicação para o ensinamento do apóstolo nos dias atuais ninguém faz, que é a pratica, cada vez mais comum, de igrejas abraçarem falsos profetas que pregam um “outro evangelho” e reconhecerem tais pessoas como “usadas por Deus”. Isto é o mais claro exemplo do que é se submeter a um jugo desigual, no entanto ninguém se lembra disto.

Também é verdade que no Novo Testamento não existe uma exortação que enquadre tal prática como um tipo de pecado (união entre cristãos e incrédulos), porém encontramos várias recomendações acerca dos perigos e consequências resultantes desse tipo de união.

O ponto da questão que deve ser analisado é o seguinte: Que tipo de situação ou relacionamento poderá me colocar em situação difícil perante minha aliança com Deus e o padrão de vida que sou instruído a ter mediante a sua Palavra?

Ora, se uma pessoa muda sua visão de fé, é porque você nunca realmente teve certeza naquilo que vivia. E de certa forma a bíblia nos fala que dois estarão em um campo e um será levado e o outro deixado Mt. 24.40, lembra-se deste texto?

A questão medíocre de alguns nesse tema, está em esquecer de que a salvação é individual e que o pecado não é carnal e sim espiritual, e se vivemos com Cristo somos protegidos e guardados por ele em todas circunstancias.

Pergunto aos fanáticos religiosos, o que dizer desse texto? “E se alguma mulher (ou homem) tem marido descrente, e ele consente em habitar com ela, não o deixe. Porque o marido descrente é santificado pela mulher; e a mulher descrente é santificada pelo marido; de outra sorte os vossos filhos seriam imundos; mas agora são santos. Mas, se o descrente se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou irmã, não está sujeito à servidão; mas Deus chamou-nos para a paz” I Co 7.13-15.

Já na questão das sociedades comerciais. Como foi dito, é preciso muito discernimento em questões assim, até porque há pessoas que adotam uma posição tão radical quanto a isto que, tentando acertar, acabam praticando um verdadeiro desserviço ao Evangelho, sem contar a desonestidade dos “crentes” em não cumprir com seus compromissos.

Vale lembrar que nenhum escritor do Novo Testamento alguma vez aconselhou os cristãos a não se associarem, em nenhuma hipótese, com os descrentes, na verdade, o próprio Paulo falou que algo desse tipo só seria possível se saíssemos do mundo I Co 5.9-11.
O que somos alertados é que não devemos nos submeter a situações em que, de alguma forma, pessoas que não compartilham da mesma fé e entendimento que temos, possam interferir diretamente sobre as ações e resultados de nossas vidas, pois assim, em alguns aspectos, seriamos inúteis, andando em círculos, tal como um animal grande e forte trabalhando ao lado de outro pequeno e fraco. Sob esse aspecto, esse tipo de situação pode significar um jugo desigual.

Não seria jugo desigual dois “crentes” dentro da igreja casados vivendo uma mentira ou uma espécie de casca (esta cheio hoje em nosso meio) onde a traição, calunia, mentiras e prostituição vivem camufladas e até ocultadas por alguns líderes da igreja?

Não seria uma espécie de jugo desigual com o propósito real do cristianismo, ser uma pessoa preconceituosa aos descrentes e assim não levar até eles o entendimento real do cristianismo por não se encontrarem na mesma fé?

Pessoas que sabem quem são realmente não se levam a correntes hipócritas e mudam a sua fé... Zele por sua fé, e nunca esqueça, a salvação é individual.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

...Não há nada que se possa esconder de Deus. Em toda a criação, tudo está descoberto e aberto diante dos seus olho...