quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Palavra Patoral de 07/12/2011


3 - RELACIONAMENTOS FIRMES (PARTE III).
Este estudo que estamos ministrando tem como base o exemplo de vida e das projeções ministeriais de Jesus Cristo. Foi a terceira coisa que Jesus fez ao iniciar seu ministério, buscou construir relacionamentos firmes com doze. Para isso assumiu a responsabilidade de estar com os mesmos para formar e ensinar com o seu exemplo e sua palavra, e eles fizeram o compromisso de sujeitar-se a Ele tornando assim seus discípulos. O pastor de uma igreja tem que fazer discípulos conforme a visão do trabalho que Deus nos dá, pois um pastor que não faz obreiros (discípulos) não é um formador de relacionamentos firmes como Jesus, tornando o seu ministério estéril e infrutífero. A obra de Deus se faz com base em relacionamentos firmes, os quais significam:

1-Relacionamentos pessoais definidos, ou seja, forma de trabalho que busca um objetivo homogêneo, que visa construir um bem estar geral, agrupando valores e dons individuais.  
2-Relacionamentos comprometidos que buscam um mesmo ideal buscando o mesmo foco.
ENCONTRAMOS TRÊS NÍVEIS EM UM RELACIONAMENTO NA OBRA:
-  Com pessoas mais experientes (Que vivem em sujeição a seu líder e age em compromisso).
-  Com iguais (Que buscam sujeição e respeito mútuo) 2° Tm 2.2.
-  Com mais novos no Evangelho (Que procuram uma responsabilidade maior e comprometimento) Ef 5.21; 1° Pe 5.5
VEJAMOS DIFERENTES RELACIONAMENTOS MINISTERIAIS:
-  Sujeição (Ação de subjugar. Estado de dependência) mútua entre obreiros e membros.
-  Pastores subordinados a outros.
-  Missionárias (os), Evangelistas e Presbíteros sujeitos a pastores e entre si.
-  Diáconos (as) sujeitos a pastores e sujeitos entre si.
                        - Líderes de grupos sujeitos a pastores e demais cargos eclesiásticos e entre si.
- Membros sujeitos a seus Líderes em total sujeição.

Todos os membros do corpo devem ter relacionamentos firmes com seus irmãos mais velhos, e com os mais novos, pessoas que não buscam este relacionamento são pessoas que em muitos casos não foram libertos de traumas e complexos que o mundo o submeteu. Não se tem comunhão com aquele que esta longe ou distante, a intimidade sadia entre membros é necessária para que haja crescimento em uma igreja. Pessoas que se decepcionam com outras são pessoas que não entendem que problemas sempre surgiram, mas se estivermos firmados na rocha que é Jesus nada nos abalará. Pois todo o corpo deve está bem ajustado e unido entre si por todas as juntas. Ef 4.16; Cl 2.19.
A base de nossas relações tanto com irmãos mais experientes, como com iguais, como ainda com os mais novos deve ter como base a atitude do Senhor Jesus descrita em Fp 2.2-8.
"... completai o meu gozo, para que tenhais o mesmo modo de pensar, tendo o mesmo amor, o mesmo ânimo, pensando a mesma coisa; nada façais por contenda ou por vanglória, mas com humildade cada um considere os outros superiores a si mesmo; não olhe cada um somente para o que é seu, mas cada qual também para o que é dos outros. Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus, o qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz ".
         Atitude de unidade - v. 2 ser um com o irmão
         Atitude de sujeição - v. 7 Jesus se sujeitou ao Pai mesmo sendo igual.
         Atitude de servo, não de senhor - v. 7
         Atitude de humildade - v. 3,8
         Atitude de amor sacrificial e não de egoísmo - v. 4,8
Somente com o ESPIRITO DE CRISTO em nós é possível construir relacionamentos para chegar à verdadeira unidade do corpo, pois temos que buscar esta unidade sempre, pois é assim que Jesus nos ensinou, às vezes temos pessoas mais chegadas que irmão, mas jamais podemos fazer acepção das outras pessoas, pois Deus assim não o faz. Temos que ser um com nossos irmãos e em Cristo, pois em todos os momentos temos que suportar uns aos outros, criando relacionamentos firmes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AS DUAS ÁRVORES

Texto de referência: Jo. 15.1-22. Introdução: A natureza, e tudo que existe em sua volta, são constantemente apresentadas e co...