quarta-feira, 27 de março de 2013

Palavra pastoral de 27 de Março de 2013.


O FRUTO E SEUS NOVE GOMOS

Fidelidade, Mansidão e Domínio Próprio (Temperança).

PARTE III

TEXTO DE REFERÊNCIA: Gl. 5. 16-26.

Introdução:
Chegamos ao ponto final do estudo do fruto do espírito, fruto ao qual é apresentado por Paulo e que está cheio de significados. Uma delas é apresentar uma colheita cheia de virtudes, e de entendermos que o fruto é um subproduto de uma árvore, que leva tempo para ter um crescimento, que por sua vez requer muito cuidado para o seu cultivo. O maior reflexo naqueles que colhem este fruto apresentado no texto em referência é de serem separados do mundo, e viverem em total controle pelo Espírito Santo. Vejamos os três últimos gomos deste fruto espiritual.

·         FIDELIDADE. É um tipo de pessoa que é digna de confiança. Deus escolhe pessoas para seu reino e as prova em fidelidade, se aprovados, são bem vistos por Ele e pelos homens Pv. 3.3,4. Uma fidelidade é necessária em todos os lugares na sociedade, pois uma fidelidade é um compromisso, ou seja, uma aliança Sl. 25.10, que deve se estender também na casa do Senhor. Um obreiro que busca uma fidelidade inabalável com seu ministério e pastor, esta colhendo para si algo grandioso em sua vida. 2ª Cr. 19.9.

·                     MANSIDÃO. É toda aquela pessoa que serve a Deus e a seu irmão, se sujeitando a ele de forma humilde considerando sempre seu irmão superior a ele mesmo Fp. 2.3,4. Uma pessoa que tem o gomo da mansidão não produz contenda e nem irá, sabe respeitar e acaba se tornando respeitado, usando a mansidão como base da sua vida 1º Pe. 3.4. A mansidão aplica a força na direção correta, uma correção em mansidão produz o resultado esperado. 1º Tm. 6. 11.

·                     DOMÍNIO PRÓPRIO (TEMPERANÇA). É o domínio sobre nossos desejos e impulsos, de natureza pecaminosa, ou de idealização do Eu Sl. 32.9, é a forma de racionalizar o que queremos antes de praticarmos aquilo que pensamos em outra palavra é ser totalmente guiado por Deus em todos os aspectos necessários. Fp. 4.5. Alguns homens e mulheres que vivem na casa de Deus, precisam rapidamente achar o foco do domínio próprio em suas vidas, para que possam assim produzir bons frutos na casa do Senhor. Mt. 7.17-20.

CONCLUSÃO:
Uma vida exclusiva a Deus deve ser o nosso foco diário, para então assim adquirirmos uma vida de excelência na presença Dele. Não basta darmos aquilo que sabemos, é necessário mais esforço de nós por um caráter polido e limpo. At. 24.16. Não sejamos mundanos em nossas práticas, mas procuremos a integridade com Deus. Rm. 12.2

Um comentário:

  1. Querido amigo pastor Arley,
    Paz!

    Seus escritos e ensinos são sementes preciosas!
    Prossiga com a bênção de Deus!
    Abraço.

    Pr. Odair

    ResponderExcluir

AS DUAS ÁRVORES

Texto de referência: Jo. 15.1-22. Introdução: A natureza, e tudo que existe em sua volta, são constantemente apresentadas e co...