quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Palavra Pastoral de 21/12/2011


5 –AÇÃO (PARTE V) At. 2.37-47.
A ação é a parte final e principal do nosso estudo, se tornando decisivo para realização da obra de Deus. Se não há uma ação, não há obra. A visão, a oração, os relacionamentos firmes e a estratégia são complementos, para que caminhemos para a ação. “... Jesus começou a fazer e a ensinar..." At. 1:1.
FUNDAMENTO E MODELO PARA A AÇÃO: JESUS CRISTO
Da ação do ministério terreno de Cristo nasce o modelo de nossa atuação. Cristo não somente é o nosso modelo quanto à qualidade de vida, como também no seu OPERAR PARA DEUS.
Hoje a ação do Corpo de Cristo, a Igreja, deve corresponder à ação de Jesus quando esteve com o seu corpo ministerial aqui na terra.
Jesus tinha o ministério de apóstolo, profeta, evangelista, pastor, mestre e diácono (servidor) ele orava, jejuava, pregava, expulsava demônios, fazia milagres, ajudava aos pobres, alimentava os famintos, abençoava e amava as crianças, era amigo dos pecadores, perdoava os pecados e os caluniadores, consolava os que sofriam, repreendia aos hipócritas, percorria cidades e povoados, evangelizava as multidões, evangelizava os indivíduos, entrava nos lares.
Seu ministério era múltiplo em meio às muitas necessidades da humanidade. Mas em toda essa intensiva ação, o aspecto central de seu ministério era DISCIPULAR a doze homens. A esses chamou e a eles se dedicou, formou, capacitou, equipou, treinou, e enviou para que fizessem o que ele mesmo fez.
Seu método formativo era duplo: o EXEMPLO de sua ação e a INSTRUÇÃO. Sarando, ele ensinava a sarar; pregando, ele ensinava a pregar; e assim sucessivamente. E depois lhes ensinava e instruía individualmente. Os discípulos eram formados VENDO a Jesus e OUVINDO os seus ensinamentos.
Hoje as circunstâncias são outras, mas as necessidades são as mesmas. O Corpo de Cristo na atualidade, mediante todos os seus membros, deve realizar o mesmo ministério multifacetado que Cristo realizou. Para isso o Senhor reparte suas graças e dons a todos os membros do Corpo, facultando-lhes a ação. Mas, igual a Cristo, o CENTRO do ministério dos santos deve ser o FAZER DISCÍPULOS, pois isto é fundamental para a edificação do Corpo de Cristo.
ENTENDENDO A AÇÃO: MATEUS 28.18-20
Há três verbos que sintetizam a ação que a igreja deve desenvolver desde o Pentecostes até a
Segunda vinda de Cristo:
-  PREGAR - (a todos)
-  BATIZAR - (aos que crêem)
-  ENSINAR - (aos que se batizam)
Estas três palavras resumem a expressão “... FAZER DISCÍPULOS...” A ponta de lança da ação é a evangelização (quantidade). O que segue é o DISCIPULADO que produzirá a qualidade e a unidade dos discípulos, para ensinar é necessário um PROGRAMA DEFINIDO DE ENSINAMENTO. “... ensinando-lhes que guardem todas as coisas que vos tenho mandado..." 
AÇÃO FAMILIAR: A IGREJA NUCLEANDO-SE NOS LARES
O grupo familiar ou culto doméstico, não é um método arcaico, nem mais um departamento da Igreja, mas tem se tornado uma forma de ação de executar o ide da palavra de Deus. Não há nas Escrituras a menção de grupos nas casas, simplesmente o Novo Testamento menciona que a Igreja se reunia nas casas e essa expressão às vezes se chamava de Igreja na casa Cl 4.15. Mas tem sido uma forma de colher e amadurecer muitos frutos. Poderíamos ainda classificar como uma pequena comunidade de discípulos relacionados sob uma condução adequada para desenvolver-se (em qualidade, unidade e quantidade), mediante a oração, o doutrinamento, a comunhão, no serviço mútuo, o exercício dos dons, e no ganhar e formar novos discípulos, de forma sábia e sadia com um período curto culto semanal. O grupo deve ser uma parte da igreja nas quadras ou cidades vizinhas, devendo está sob a supervisão e direção de líderes qualificados e separados pela autoridade pastoral local.

O QUE É ESSENCIAL EM UM GRUPO?

A ordem de Jesus não foi: - ide e fazei grupos caseiros Mas, “... ide e fazei discípulos...”, ou seja, o essencial em um grupo no lar é o discipulado e não o desenvolvimento de uma mentalidade que venha substituir a importância de congregar em uma igreja. Se um grupo desse não tem o discipulado, se torna perdida a sua essência, e se reduz a uma simples reunião caseira. Discipulado significa que existem discipuladores, discípulos, compromisso, sujeição, formação de vidas, formação de obreiros, serviço, ação, evangelização, multiplicação e crescimento.

UMA AÇÃO DE MULTIPLICAÇÃO
É responsabilidade de cada líder e obreiro preparar a todos os seus integrantes e envolvê-los na ação evangelizadora. Há muitas formas de evangelizar, mas vejamos algumas que tem sido abandonada nos últimos anos:

· Sair na rua para entregar folhetos com todo seu departamento é uma forma de despertar nossos membros para falar do amor de Deus ao próximo, e ainda gerar automaticamente novos membros.
·   Tomar várias ruas de um bairro de forma organizada visitando casa por casa, se apresentando de onde é, e se colocando “A IGREJA” a disposição da comunidade. É uma forma de alcançar novos membros para o corpo de cristo.
·   Fazer reuniões evangelísticas, “CULTO AO AR LIVRE” ou em casas de novos convertidos, visando convidar, vizinhos, amigos e parentes dos mesmos, com um grupo de membros da mesma faixa de classificação do mesmo com os departamentos da igreja. Ex: irmãs, jovens, irmãos, adolescentes, juniores...
·   Criar uma lista de membros afastados de um departamento, e aplicar assim as primeiras ações anuais em visitas, cultos nos lares e outros métodos, deve ser a primeira ação de um líder, pois para se alcançar novos membros é necessário primeiro restaurar o grupo local.


Um bom líder não é aquele que busca agradar a todos, mas sim aquele que procura respeitar seus liderados. A obra de Deus tem sofrido porque em muitos momentos deixamos o necessário para o crescimento da obra e trocamos pelo supérfluo. Passeios com o departamento e momentos de lazer são necessários, mas a busca de novos membros é mais necessário ainda. Não podemos acomodar com a qualidade e quantidade de membros que temos, mas devemos buscar cada dia mais uma melhor qualificação dos mesmos e sempre visando um crescimento do grupo. As almas estão cada dia mais morrendo e se perdendo neste mundo, membros feridos em nosso meio seguem a mesma marcha para a morte espiritual. Abramos os nossos olhos espirituais em busca de uma visão de águia e façamos a diferença em nossa comunidade cristã. Devemos viver praticando o que pregamos sem olhar para trás. Lc. 9.62, façamos a diferença...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AS DUAS ÁRVORES

Texto de referência: Jo. 15.1-22. Introdução: A natureza, e tudo que existe em sua volta, são constantemente apresentadas e co...