quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Palavra pastoral de 12 de Dezembro de 2012.


CONQUISTA FINANCEIRA

A MORDOMIA. Parte II

TEXTO DE REFERÊNCIA: 2°Co 9. 1-15.

Introdução:

O dinheiro é algo que traz uma grande discussão em nossas igrejas. Em Ec. 5.10 traz um texto que interpretado de forma isolada nos levaria a compreender como muitos fazem, que não podemos ter bens e muito dinheiro. O que é fato é que o dinheiro não pode ocupar o primeiro lugar em nossas vidas, mas é uma benção para nós quando bem administrado Lc. 16.13. A mordomia é um cargo que tem como ofício ser mordomo, que por sua vez tem como significado administrador dos bens de uma irmandade ou confraria ou o organizador de um lugar, é assim que Deus espera nos ver, com os 90% que nos é dado, viver bem de uma forma sadia, conquistando bênçãos e bens, e ajudando a obra de Deus a conquistar também lugares altos.

·                     O dinheiro como benção de Deus. Precisamos entender que não somos nada a mais, levando em consideração naquilo que possuímos Lc. 12.15, mas que a própria bíblia diz que as riquezas vêm de Deus 1° Cr. 29.12, e que Ele é dono de todas as riquezas de terra Ag. 2.8, como dizer então que é algo maldito? O que precisamos é vigiar para não se tornar escravo dele. 1° Tm. 6.9,10.
·                     Usando o dinheiro com sabedoria. Devemos buscar com sabedoria, para a agregação de bens materiais em nossa família, sem o uso da cobiça, ganância e da avareza, como meio de crescimento pessoal. Fp. 4.12,13 precisamos ter um orçamento mensal de nossos gastos, e agir com prudência para equilibrar os gastos. Precisamos andar em fé, mas no financeiro, devemos andar consciente. Pois a bíblia aconselha em até guardar para momentos ruins... Pv.10.5.
·                     Viver em generosidade. Os falsos obreiros dos dias atuais são responsáveis pela perca da generosidade cristã, mas é algo que não se justifica perante a Deus. Em Is. 58.7,9 nos exemplifica como alcançar o socorro de Deus através da generosidade. A Bíblia ainda nos ensina que a nossa generosidade, produzirá uma mútua ação se necessário no futuro Ec. 11.2. Pois como ter o amor de Deus em nós sem sermos generosos? 1°Jo. 3.17

Conclusão: 
O verdadeiro cidadão do céu, não esta preocupado com o amanhã, pois de forma prudente, também não faz tantas dívidas para o amanhã. Sei que não é fácil, mas precisamos fazer dívidas para o amanhã apenas quando formos agregar bens duráveis como casa e carro, e ainda seguindo o nosso orçamento familiar. As demais coisas podem aguardar para serem comprados avista ou em menos tempo de pagamento. Antes de comprar se pergunte: Eu posso? Eu preciso? A nossa maior preocupação deve ser a obra de Deus, para que assim as demais coisas ocorram ao seu devido tempo. Mt. 6.33.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AS DUAS ÁRVORES

Texto de referência: Jo. 15.1-22. Introdução: A natureza, e tudo que existe em sua volta, são constantemente apresentadas e co...