quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Homem de Valores

Homem de Valores


Introdução:
O que faz um homem de Deus ser um homem de valores? Como podemos conhecê-lo? Quais são suas marcas? O que rege a sua vida? 

O apóstolo Paulo escrevendo em 1Tm.11 a 16, acentua quatro importantes valores e compromissos de um homem de Deus. O homem de Deus é conhecido por aquilo de que ele foge, segue, combate e guarda. Vamos examinar esses pontos.

1. Primeiro valor Fugir:
O homem de Deus é conhecido daquilo que ele foge 1Tm 6.11 - Paulo diz: “Tu, porém, ó homem de Deus , foge dessas coisas…”. De que c oisas um homem de Deus deve fugir? Deve fugir da inveja, da difamação, das suspeitas malignas, das contendas e brigas sem fim e, sobretudo, da ganância, ou seja, do amor ao dinheiro, que é a raiz de todos os males 1Tm 6.3-10. Aqueles que se entregam à maldade e à avareza atormentam-se a si mesmos e caem no laço do diabo. Um homem de Deus não é apegado às coisas materiais. Ele não ama o mundo, mas o Senhor. Ele busca uma vida santa e sabe que a piedade, com contentamento, é grande fonte de lucro. Muitas pessoas são escravas do poder e da cobiça. Prostram-se diante desse ídolo no "eu"e são ávidas pelo poder, mesmo que para obtê-lo tenham que se envenenar de inveja, ódio e cobiça.

2. Segundo valor seguir:
O homem de Deus é conhecido por aquilo que ele segue 1Tm 6.11 - O apóstolo Paulo continua: “… segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a constância, a mansidão”. Um homem de Deus foge do pecado e segue a virtude. Ele abomina o mal e anseia pelo bem. Ele foge da injustiça, mas busca o que é justo mais do que o ouro e a prata e o poder. Ele foge da vida promíscua e impura e segue a piedade. Seu prazer não está no mundo e seus prazeres, mas em Deus. Ele foge da incredulidade e segue a fé. Ele se deleita na Palavra e crê de todo o seu coração nas promessas do Eterno. Ele foge das altercações sem fim, das brigas empapuçadas de mágoa e segue o amor. Ele foge do estilo de vida inconstante daqueles que correm atrás do vento e segue a constância. Ele foge do destempero emocional e segue a mansidão.

3. Terceiro valor combater:
O homem de Deus é conhecido por aquilo que ele combate 1Tm 6.12 -,O apóstolo ainda escreve: “Combate o bom combate da fé, toma posse da vida eterna…”. Havia aquele tempo, como ainda hoje, muitos falsos mestres espalhando suas heresias. Timóteo devia entender que a vida cristã é uma luta sem trégua e sem pausa contra o erro e na promoção da verdade. Ele deveria como soldado de Cristo, combater o combate certo, com a motivação certa. Há muitas pessoas que entram na luta errada, com as armas erradas e com a motivação errada, quando deveriam combater em defesa da fé verdadeira com armas espirituais em defesa do reino.Timóteo lutou nessa batalha em favor da fé, tomando posse da vida eterna. Ele estava convicto e seguro daquilo que Cristo tinha feito por ele e nele, e então, saia bravamente em defesa da verdade.

4. Quarto valor Guardar:
O homem de Deus é conhecido por aquilo que ele guarda 1Tm 6.14 - Finalmente, Paulo diz: “que guardes o mandamento imaculado, irrepreensível, até a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo”. Muitos obreiros haviam se desviado do caminho, como Demas. Outros haviam se intoxicado de soberba como Diótrefes. Ainda outros haviam sido seduzidos pelas heresias dos falsos mestres. Mas, um homem de Deus deve guardar o mandamento, a Palavra de Deus, vivendo de maneira irrepreensível até a volta do Senhor Jesus. 

Conclusão:
Um homem de Deus não negocia a verdade nem transige com seus absolutos. Um homem de Deus não se rende à tentação do lucro em nome da fé nem abastece seu coração com as ilusões de doutrinas estranhas às Escrituras. Um homem de Deus ama a Palavra, guarda a Palavra, vive a Palavra e prega a Palavra e conheçe a palavra.

Que vejamos nesta geração o surgimento de muitos homens de Deus, homens dispostos a fugir do pecado, a seguir a justiça, a combater o bom combate da fé e a guardar a Palavra, vivendo uma vida imaculada e irrepreensível, enfim homens de valor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AS DUAS ÁRVORES

Texto de referência: Jo. 15.1-22. Introdução: A natureza, e tudo que existe em sua volta, são constantemente apresentadas e co...