quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Entendendo o Apocalipse Capítulo 5.


Digno é o cordeiro.

Capítulo 5.
TEXTO DE REFERÊNCIA: Ap.5.

Introdução:

                    Um novo rumo de acontecimentos começa a ser visto a partir deste capítulo, onde o livro de Daniel especialmente as setentas semanas, nos faz um paralelo com o acontecido, bem como nos dá um melhor esclarecimento dos fatos relatados em apocalipse. Dn. 7.9.14.

                   Veremos uma série de acontecimentos previstos para um tempo em que, a calamidade na humanidade sofrerá impactos do mundo espiritual, no qual se materializará de forma drástica, levando sofrimento e dor para um povo que não escolheu servir a Deus em seu devido tempo.

                  Nesse momento as teorias de salvação serão colocadas em prova, mostrando assim realmente o que sempre esteve bem claro nas escrituras. Ap.2.7.

·         Na mão direita um livro: Um livro na mão direita, no formato de um rolo, ou pergaminho, estava pronto para ser aberto por alguém, que era o único detentor para tal feito. Este é o tema principal de apocalipse 5. Um texto rico em seus sinais demonstra a importância deste livro, bem como existir um único detentor do direito em abri-lo. Um livro que revela a sua complexidade por está escrito por dentro e por fora.

Por está na mão direita, nos faz compreender tamanha importância deste livro, pois mão direita representa na história bíblica, a benção da primogenitura Gn. 48.13-18 posição de honra I Re. 2.19 e também de onde vem o castigo de Deus para os inimigos Dele. Hb. 2.16.

·         O Leão da tribo de Judá. O leão é um animal forte e dominador, que representa o poder real Pv. 30.30. É citado muitas vezes na Bíblia para representar o poder destrutivo que despedaça o inimigo Sl 7.2; 22.13; Jr 4.7. Representa a coragem daquele que não desiste quando ameaçado Pv. 28.1. Não há dúvida de que Jesus, descendente legítimo de Davi, seja o Leão de Judá.

·         A Raiz de Davi: As imagens de poder e realeza envolvem a linhagem real de Davi. Isaías 11 profetiza sobre o renovo, ou rebento, que surge das raízes de Jessé, pai de Davi. É uma profecia importante sobre o rei messiânico, cumprida em Jesus e confirmada por esta citação no Apocalipse. Paulo aplica a mesma profecia de Isaías a Jesus Rm 15.8-13. Em Apocalipse, Jesus mesmo afirma ser esta Raiz. Ap. 22.16.

·         Sete chifres: As outras vezes no livro que encontraremos figuras com chifres serão os inimigos de Deus. Mas aqui, o Cordeiro tem sete chifres. Como já observamos, este Cordeiro é o grande Vencedor. Ele tem poder para resistir e derrotar os inimigos. Os cristãos não foram deixados sem defesa. O seu Cordeiro pascal tem chifres. É o Leão!

·         Sete olhos, que são os sete Espíritos de Deus: Mais uma vez, refere-se aos sete Espíritos, esta vez como olhos enviados por Deus “por toda a terra”, enfatizando a onisciência do Espírito Santo. Ap. 1.4; 3.1; 4.5.


Ainda acontecerão muitas coisas no Apocalipse, mas a cena apresentada nos capítulos 4 e 5 nos mostra a realidade eterna da soberania e dignidade do Pai e do Filho. As vozes dos servos de Deus na terra se juntam às vozes dos servos no céu na adoração constante, que continuará para toda a eternidade. O nosso Criador merece esta honra. O nosso Redentor também. Os selos serão abertos e o início dos ais virá...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AS DUAS ÁRVORES

Texto de referência: Jo. 15.1-22. Introdução: A natureza, e tudo que existe em sua volta, são constantemente apresentadas e co...