quarta-feira, 22 de março de 2017

CRISE ESPIRITUAL



Texto de Referência: Is. 1.1-20.

Introdução

 Uma crise assola a igreja de forma devastadora. A problemática não está mais em um foco apenas ou em uma vertente, mas se tornou de várias vertentes e focos.

 Líderes que se sentem empresários, membros que se acham altos suficientes, mentiras de modo geral, pecados ocultos de todos os lados, fazem com que alguns fiéis entrem em crise ao ponto de desistir.

·                    Origem da Crise de espiritualidade

Vivemos em um estado de rebelião Is.1.2 contra os princípios da moral da palavra de Deus, muitos prostituem as escrituras para satisfazerem a sua carne com o pecado, com a politicagem dentro e fora da igreja, e com pregações do amor á si mesmo, em torno da lascívia. (luxuria e sensualidade exagerada)
      
 Outra manifestação da rebelião espiritual está em muitos com o conhecimento da letra, agir com soberba aos menos conhecedores, esquecendo estes que o conhecimento se perde sem o espírito de Deus. Jo. 15.5.

·                    Falta de conhecimento Is. 1.3, Jr. 9.24.

Vivemos dias e tempos em que o conhecimento da letra está a todo vapor.

As pessoas conhecem as escrituras de forma básica e os erros e acertos a luz da Bíblia se tornou algo compreendido por jovens de pouca idade.

A Falta de conhecimento mais agravante em nosso tempo está em não conhecer, ou ter desaprendido do que é o Espírito Santo de Deus.

Muitos vivem no apego ao pecado Is.1. 4, se esquecendo que o pecado nos leva para a morte,outros valorizam os sintomas da derrota na luta espiritual, entendendo que nada mais é espiritual, ou seja, é uma mera consequência do caminho tomado.

Ora, esquecemos-nos da alegria da primeira experiência de salvação, incluindo o desejo de estudar a Bíblia, da oração, do prazer em cultuar a Deus, e o verdadeiro sentido de pertencer a Jesus.

Vivemos o tempo do conhecimento da letra, mas praticamos o tempo do desconhecimento de um relacionamento com Cristo e o seu Espírito Santo.
  
Frutos negativos da Crise de Espiritualidade


·                       Ritualismo hipócrita, culto indiferente. Is. 1.11 e 14.

Presos pelo conhecimento da letra, dogmas e cerimônias, estamos em nossos dias presos dentro de uma igreja para realizar exames litúrgicos, examinar se os louvores foram bons, se o pregador realmente conhece as escrituras, ou se usou a metodologia teológica correta.

A Adoração genuína tem se perdido por causa das falas negativas que um aleluia, ou um glória Deus, poderá gerar na pessoa que está ao seu lado.

Perdeu-se a essência de adorar, agradecer, chorar aos pés de Cristo, pois o ritual é mais importante. Perdeu-se o primeiro amor Ap.2.2.


·                       Religiosidade estéril: Is.1.13 e 15.

Sacerdotes que metem, roubam, pecam, são imorais, constrangem pessoas com suas falas, membros que prostituem a moral cristã com suas vestes manchadas com o pecado, transitam na igreja e púlpitos de forma normal, natural e incessível ao Espírito Santo.

Estéril, pois não produzem mais o bem estar em suas ovelhas ou líderes sobre sua cobertura, onde a preocupação está nos ganhos financeiros, e nunca com a saúde espiritual do povo.

Para muitos o cristianismo se tornou um meio de enriquecimento ilícito, com a prática do comércio com vendas de igrejas, casas, carros, CDs, DVDs, shows e tantas outras coisas dentro do santuário.

 Situação esta que me faz pensar... Se Jesus vivesse na terra nos dias de hoje, não seria difícil outras situações de insatisfação que ele demonstrou no templo nos dias dele. Mt. 21.12.


 Como combater a crise da espiritualidade


·                       A graça de Deus Is.1.18.

Abandono radical do pecado, da soberba, da mentira, da hipocrisia, e principalmente gerar em si um espírito de paz.

Frequentar a casa de Deus sem ser um fiscalizador de dogmas, costumes ou coisa assim, mas preservar o entendimento da palavra que transforma sem necessidade de fatores humanos racionais, mas viver uma vida sadia aos olhos de Deus.

·                 O arrependimento genuíno: Is.1.16,17.

A prática das disciplinas espirituais ensinadas no texto acima, nos levará a passar pela crise espiritual, fazendo-nos melhores em cristo. Somente com a Santidade I Ts.3.13, verdade Fp.3.16, no espírito Gl. 5.16 e em caminhos retos Sl. 119.1, geraremos de fato uma libertação e assim genuinamente o arrependimento.


Conclusão:

As tribulações não podem nos atingir e nos destruir quando estamos em Cristo. Esquecer os homens e suas mentiras farão de nós pessoas mais alegres e acima de tudo espirituais, pois um imundo não pode ajudar outra pessoa nem a si mesma. Lc. 6. 39.


Devemos ter como alvo, uma vida espiritual com cristo, sem crise I Tm. 6.11.

Um comentário:

  1. Palavra vinda do Trono aos nossos Corações, que Deus continue a lhe usar Pr Arley

    ResponderExcluir

AS DUAS ÁRVORES

Texto de referência: Jo. 15.1-22. Introdução: A natureza, e tudo que existe em sua volta, são constantemente apresentadas e co...